MIWA YANAGIZAWA

 

Fundadora do Areas Coletivo, dirigiu, recentemente, o espetáculo da Cia. Luna Lunera ”Urgente” que estreou no CCBB-BH (Março de 2016) e " Plano sobre queda" ( 2014). Dirigiu também os premiados “Breu” de Pedro Brício em parceria com Maria Silva S. Campos, e “Nada, uma peça para Manoel de Barros”, de Emanuel Aragão, com os Irmãos Guimarães. Como atriz, em 2014 e 2015 atuou em “Trágica.3” com direção de Guilherme Leme e “Oleanna” de David Mamet com direção de Gustavo Paso.

 

Realizou inúmeras edições da oficina para o ator “a escuta” no Rio, SP, MG e PR. A oficina fez  parte também de processos artísticos de grupos como Teatro Kunyn e Grupo XIX de SP e Grupo Galpão de MG. Foi integrante da ciateatroautônomo, dirigida por Jefferson Miranda por 18 anos.

 

Criou como atriz, parceria com a diretora Ticiana Studart nos espetáculos “Casa de Prostituição de Anaïs Nin”; “Coração na Boca”; “Insensatez” e “As Lágrimas Amargas de Petra von Kant”. Atuou em “Cemitério dos Vivos”; “Pierrô Saiu à Francesa” e “A Missão”, da Cia Ensaio Aberto, em “M. Butterfly”, dirigido por José Possi Neto, “O Elogio da Loucura” e Entropia” dirigidos por Marcelo Morato e “Outros Tempos” de Harold Pinter, dirgido por Pedro Freire. Como cenógrafa ganhou prêmio APTR por BREU, em parceria com Maria Silvia e Aurora dos Campos.

Foi professora de teatro no Grupo Nós do Morro de 2000 a 2010 e integrou o projeto Tempo Livre na cidade de Japeri, uma parceria do Grupo Nós do Morro com o Sesc.