ESTUDO: A ESCUTA

 

Através de improvisações e exercícios de percepção, o ator é requisitado à investigar seu modo de trabalho para detecção de vícios interpretativos, buscando outras vias de construção da cena que surjam das inter-relações. Um estudo de escuta diária e contínua do Outro como prática dialógica ética e estética fundamental ao trabalho artístico. Os dispositivos que guiam as improvisações servem à instabilidade e ao risco que devem permear o exercício. Torná-los desdobráveis e maleáveis ao que se manifesta durante o encontro com o outro, é uma maneira de colocar o ator em contato direto com a efemeridade intrínseca aos encontros e às relações.

 Idealizada por Miwa Yanagizawa e Camila Márdila, "A Escuta" já tem inúmeras edições em RJ, SP, Londrina e Japeri, entre continuidades e parte de processos artísticos em trabalhos de grupos como o Galpão de BH, Grupo XIX e Kunyn, ambas de SP, e em residencias artisticas como no Teatro Poeira/RJ. 

A Escuta é ministrada por Miwa Yanagizawa, e em algumas edições ao lado de Liliane Rovaris e Camila Márdila.